Heitor Bergamini

Heitor Bergamini

Heitor Bergamini, escultor.

Guaporé - RS, 1957

Heitor Bergamini se apresenta como artista com a exposição individual "Dança do Mangue", com curadoria do arquiteto e também artista visual, Fábio André Rheinheimer, mas a arte sempre esteve presente em sua vida, assim como o propósito de extrair a beleza e dar outra vida a tudo que encontrasse — até no lixo. Assim, garrafas descartadas achadas pelo menino de Guaporé eram trocadas por bolas e outros brinquedos. As letras ganharam traços artísticos e arabescos e os descartes de objetos e outros materiais se transformavam em abajures e esculturas. Para Bergamini, um barco encalhado vira inspiração para imagens que mesclam o concreto e o abstrato e as sucatas se convertem em esculturas.

Como executivo de uma grande empresa siderúrgica, Bergamini passou a viajar e a ter contato com várias manifestações artísticas. Virou colecionador da arte produzida no Rio Grande do Sul, no Brasil e no mundo. Entre seu acervo diversificado estão obras de Xico Stockinger, Vasco Prado, Roberto Kenji Fukuda e até uma das esculturas de Antônio Caringi, que deu origem ao Laçador. Proprietário da GalArt, galeria de arte em Porto Alegre, Bergamini oferece aos visitantes a experiência de contemplar obras de grandes nomes da arte contemporânea em um único espaço.

 

Obras

DESTAQUES DO ARTISTA